Emergência Fisioterapêutica na Ortopedia

Clique e acesse a coluna Doctor Paddle #6 

Na pandemia de COVID 19, a Fisioterapia do Brasil, se destacou no atendimento aos pacientes nas emergências hospitalares e UTIs. Mas a Fisioterapia, é um mundo em expansão, ela surgiu no Brasil apenas 51 anos e é considerada uma profissão nova. E para alguns autores de história, consideram a profissão que evoluiu mais rápido quanto em técnicas, legislação e campo de atuação, comparando o tempo de existência com outras profissões.

Existe outra área de atuação, em emergência na Fisioterapia, está começando a criar corpo: Emergência Fisioterapêutica na Ortopedia. Participo de um grupo de estudo de uma universidade, aqui em Porto Alegre e no mês passado, conversamos sobre esse assunto. O professor organizador, é membro do Conselho de Fisioterapia do RS, disse que em outros Estados, tem fisioterapeutas divulgando os seus serviços nas emergências ortopédicas.

Conhecemos muitos casos e histórias, de pacientes que ligam ou aparecem no consultório, relatando dores insuportáveis, dizendo que “já fizeram tudo”: já tomaram quase todos os medicamentos, foram várias vezes em emergências hospitalares, fizeram tudo que era alongamento, diversos exames radiológicos e não resolveu o problema. Pior, quando dizem que estão com o problema há meses ou tem crises e não sabem mais o que fazer

Defendo uma teoria: diagnóstico errado, tratamento errado. Quando falo em diagnóstico, não estou me dirigindo a exames radiológicos, muitas vezes não justificam o problema ou a causa. Geralmente, o problema não está na coluna, nos ossos, nas articulações ou na cartilagem, e sim, nos músculos. E exame para músculo não existe, se tiver rupturas, sim.

A Emergência Fisioterapêutica, não é uma especialidade da Fisioterapia e ainda não é uma área de atuação profissional, não são todos os fisioterapeutas que atuam. Para atender emergência fisioterapêutica na ortopedia, não são cursos ou especializações que vão trazer conhecimento, e sim, tempo de formado, conhecimento sobre avaliação e diagnóstico fisioterapêutico e vivência clínica. Mesmo com toda essa experiência, não são todos os profissionais se sentem habilitados a atender pacientes com esse quadro. Os profissionais quem mais atuam nessa área, geralmente, são os fisioterapeutas do esporte.

O fator complicador, muitos pacientes não têm exames radiológicos e relatam que acordaram com o problema ou fizeram um movimento errado ou brusco e travaram ou já faz alguns dias que estão com dor e apenas foram medicados. O fisioterapeuta, tens que pensar os prováveis problemas, quais os locais que podem estar acometidos e pensar quais as técnicas e recursos que vão ter efeito imediato, retirando ou diminuindo a dor, para consiguir realizar as atividades de vida diária e trabalhar.

Técnicas, métodos, formações, cursos e etc. a Fisioterapia está lotada, saber qual é mais eficaz, só a experiência e a vivência para saber. Como diz o ditado: a faculdade forma e a vida informa.

Para finalizar, nem todos os fisioterapeutas sabem atuar na emergência fisioterapêutica, não é uma falha de formação ou profissional, é muito difícil e requer bastante experiência. Eu aprendi atuar nessa área, tive um excelente professor que me ensinou tudo que eu sei em acupuntura, o mestre Tone e somado a isso, a minha vivência na fisioterapia esportiva, atuando com diversos esportes ao mesmo tempo em campeonatos.

Boas remadas galera!!!!

Fabiano Bartmann
Fisioterapeuta
Profissional de Educação Física
Membro da equipe Rabbit de SUP